top of page
Buscar
  • Foto do escritorEdgar L. Quintas

Empréstimos Bancários: informações importantes sobre juros e comissões

Atualizado: 9 de jul. de 2023

Você sabia que existe diferentes tipos de taxas de juros em empréstimos bancários? E que as comissões cobradas podem variar de acordo ao tipo de empréstimo e instituição financeira?

notas de euros, dolar americano, kwanza

No mundo das finanças, os empréstimos bancários desempenham um papel importante na vida das pessoas e das empresas. Eles fornecem acesso a recursos financeiros necessários para atender a diversas necessidades, desde aquisição de bens até investimentos.


No entanto, ao utilizar esses serviços, é crucial entender como funcionam os juros e as comissões bancárias. Neste artigo, iremos explorar esses conceitos e fornecer dicas sobre como gerenciar suas finanças de forma eficaz.



Empréstimos bancários: entendendo as taxas de juros


Quando contratamos um crédito bancário, seja um empréstimo pessoal, financiamento imobiliário ou qualquer outro, os juros são uma parte essencial do acordo.


Os juros são a compensação financeira que as instituições bancárias recebem por emprestarem dinheiro aos clientes.


Eles são expressos como uma porcentagem do valor principal e são calculados com base no tempo de pagamento e na taxa de juros acordada.


É importante observar que existem dois tipos principais de taxas de juros: as taxas fixas e as taxas variáveis. Cada uma possui características distintas, com seus próprios prós e contras. Vamos explorar mais detalhadamente essas duas modalidades:


Taxas Fixas


As taxas de juros fixas são aquelas que permanecem constantes ao longo de todo o período do contrato de crédito.


Isso significa que a porcentagem dos juros acordados no início do contrato não será alterada, independentemente de flutuações no mercado financeiro ou em índices econômicos.


Essas taxas fixas apresentam algumas vantagens, como por exemplo:

1. A previsibilidade: Os mutuários têm a certeza de que suas prestações mensais permanecerão inalteradas durante todo o período do empréstimo, facilitando o planeamento financeiro e evitando surpresas desagradáveis.


2. A estabilidade: Ao optar por uma taxa fixa, você não será afetado por aumentos nas taxas de juros que possam ocorrer ao longo do tempo, garantindo uma taxa constante que não afetará o custo total do empréstimo.


Mas também, existem desvantagens, tais como:

1. Taxas Iniciais Potencialmente Mais Altas: Geralmente, as taxas de juros fixas tendem a ser mais altas do que as taxas iniciais das taxas variáveis. Isso ocorre porque os bancos precisam precificar o risco de manter uma taxa fixa durante todo o contrato.


2. Perda de Vantagens de Queda nas Taxas: Se as taxas de juros caírem significativamente no mercado, os mutuários com taxas fixas não se beneficiarão dessas reduções, permanecendo com a mesma taxa contratada inicialmente.


Taxas Variáveis


As taxas de juros variáveis, por outro lado, são aquelas que podem flutuar ao longo do tempo com base em indicadores econômicos, como a taxa básica de juros do país, índices de inflação ou taxas interbancárias.


Vantagens:

1. Taxas Iniciais Mais Baixas: Geralmente, as taxas de juros variáveis têm um valor inicial mais baixo do que as taxas fixas, o que pode resultar em prestações mensais iniciais mais acessíveis.


2. Possibilidade de Beneficiar-se de Quedas nas Taxas: Caso as taxas de juros caiam durante o período do contrato, os mutuários com taxas variáveis podem se beneficiar de reduções nos juros e, consequentemente, pagar menos ao longo do tempo.


Desvantagens:

1. Falta de Previsibilidade: as flutuações nas taxas de juros podem resultar em mudanças nas prestações mensais, tornando mais difícil o planejamento financeiro a longo prazo.


2. Risco de Aumento das Taxas: Em contrapartida, se as taxas de juros aumentarem, os mutuários com taxas variáveis podem ter que lidar com prestações mensais mais altas, o que pode afetar sua capacidade de pagamento.



Comissões em Operações de Crédito


Durante a contratação e ao longo de um crédito bancário, é comum que sejam cobradas diversas comissões e taxas pelos serviços prestados pelo banco.


Essas comissões podem variar de acordo com o tipo de empréstimo, a instituição financeira e a legislação local.


Aqui estão algumas das comissões mais comuns que podem ser cobradas durante esse processo:


1. Comissão de abertura de crédito: Essa comissão é cobrada no momento da contratação do empréstimo e geralmente corresponde a uma porcentagem do valor solicitado.

Ela cobre os custos administrativos relacionados à análise de crédito e preparação do contrato.

2. Comissão de formalização: Também conhecida como taxa de contratação, é uma taxa cobrada para formalizar o contrato de empréstimo.

Ela engloba os custos relacionados à elaboração do contrato, registro e averbação de garantias, quando aplicável.

3. Comissão de avaliação de bens: Se o empréstimo for garantido por um bem, como um imóvel, é comum que seja cobrada uma comissão para avaliar o valor desse bem.

Essa avaliação é importante para estabelecer o limite de crédito e as condições do empréstimo.

4. Comissão de liquidação antecipada: Caso o cliente deseje quitar o empréstimo antes do prazo estabelecido, pode haver a cobrança de uma comissão de liquidação antecipada.

Essa taxa compensa o banco pelos juros que deixará de receber devido à antecipação do pagamento.

5. Comissão de renovação: Em alguns casos, quando o empréstimo tem prazo longo, é possível que seja cobrada uma comissão de renovação para estender o contrato por mais um período.

Essa taxa pode ser fixa ou calculada com base em um percentual do valor do empréstimo.

6. Comissão de administração (gestão): Essa comissão pode ser cobrada regularmente ao longo do empréstimo para cobrir os custos de administração e gestão da conta. Ela pode ser uma taxa fixa mensal ou uma porcentagem do valor do empréstimo.

7. Comissão de pagamento em atraso: Caso haja atraso no pagamento das parcelas, o banco pode cobrar uma comissão por pagamento em atraso.

Essa taxa é aplicada como uma penalidade pelo não cumprimento dos prazos de pagamento.

8. Comissão de alteração contratual: Se houver a necessidade de alterar as condições do contrato de empréstimo, como mudança de prazos ou alteração do tipo de garantia, pode ser cobrada uma comissão de alteração contratual.

É importante ressaltar que as regras e regulamentações bancárias variam de acordo com cada país e instituição financeira.


Portanto, é aconselhável verificar as informações específicas e actualizadas junto ao banco ou instituição financeira local para obter uma compreensão precisa das comissões cobradas durante a contratação e no decorrer de um crédito bancário.


Os bancos são obrigados a fornecer informações claras e detalhadas sobre todas as comissões e taxas aplicáveis, bem como sobre os direitos e responsabilidades do cliente.


Recomenda-se que os clientes leiam cuidadosamente o contrato de empréstimo e esclareçam quaisquer dúvidas com o banco antes de assiná-lo, a fim de evitar surpresas e entender completamente os encargos financeiros envolvidos.



Dicas a ter em conta antes de solicitar um empréstimo bancário


Agora que compreendemos os conceitos de juros e comissões bancárias, é importante adoptar práticas para gerenciar nossas finanças de forma eficiente.


Alistamos aqui algumas dicas úteis:


Compare Taxas de Juros:


Antes de contrair um crédito, pesquise e compare as taxas de juros oferecidas por diferentes instituições bancárias. Escolher a opção com a menor taxa de juros pode resultar em economia significativa ao longo do tempo.


Considere também o tipo de taxa (fixa ou variável) que melhor se adequa às suas necessidades e capacidade de pagamento.


Negocie as Comissões:


Não tenha medo de negociar com as instituições bancárias as comissões cobradas. Muitas vezes, é possível obter descontos ou isenções de taxas, especialmente se você for um cliente de longa data ou possuir relacionamento com o banco.


Esteja disposto a discutir as comissões e explorar opções que sejam mais favoráveis para você.


Leia os Contratos com Atenção:


Antes de assinar qualquer contrato, leia-o atentamente e entenda todas as cláusulas, incluindo as relacionadas a juros e comissões.


Preste atenção especial às informações sobre a possibilidade de alterações nas taxas de juros e comissões ao longo do tempo. Se necessário, peça esclarecimentos adicionais ao banco antes de concordar com os termos.


Esteja Atento aos Prazos de Pagamento:


Cumpra sempre os prazos de pagamento estabelecidos em seu contrato de crédito. Atrasos nos pagamentos podem resultar em cobrança de juros de mora e multas, o que aumentará o custo total do crédito.


Mantenha um calendário de pagamentos e ajuste seu orçamento para garantir que você tenha fundos suficientes para cumprir suas obrigações financeiras.


Busque Orientação Financeira:


Se você estiver enfrentando dificuldades financeiras ou tendo dificuldade em lidar com seus créditos bancários, considere buscar orientação financeira profissional.


Um consultor financeiro pode ajudá-lo a avaliar sua situação, propor estratégias de pagamento e auxiliar na renegociação de suas dívidas, se necessário.

A primeira dica deve ser especial, assim seus leitores continuarão interessados.



Conclusão


Compreender os conceitos de juros e comissões em contratos de créditos é essencial para uma gestão financeira eficaz.

Ao contrair créditos bancários, é importante analisar e comparar as taxas de juros oferecidas pelas instituições financeiras, bem como negociar as comissões aplicadas.


Ler os contratos com atenção, cumprir os prazos de pagamento e buscar orientação financeira quando necessário são medidas adicionais que contribuem para um melhor gerenciamento das finanças pessoais.


Mantenha-se informado, esteja atento às suas obrigações financeiras e tome decisões conscientes ao utilizar os serviços bancários, garantindo uma gestão saudável e equilibrada de suas finanças.

52 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page