top of page
Buscar
  • Foto do escritorEdgar L. Quintas

Standard Bank Angola (SBA) perde 49% a favor do Estado

Atualizado: 6 de ago. de 2023

142 milhões de dólares, equivalente a 49% do Standard Bank Angola foram confiscados pela PGR e passam para propriedade do Estado Angolano de acordo com a lista publicada no seu site oficial.
Agência Standard bank Angola

O banco de origem na África do Sul sofreu uma perda significativa de 49%, equivalente a 142 milhões de dólares, que eram detidos pelo empresário Carlos São Vicente, agora condenado a nove anos de prisão.


O Standard Bank Angola (SBA), é uma das entidades listadas no site do Serviço Nacional de Recuperação de Ativos (SNRA) da Procuradoria-Geral da República (PGR). Essa lista inclui ainda os hotéis IKA e IU, bem como várias dezenas de apartamentos no país e no estrangeiro, condomínios, fábricas, vivendas e loja, conforme tornado público no referido website.


As participações societárias do SBA estavam distribuídas em 51% para o Standard Bank Group e em 49% para a AAA Activos Lda. No entanto, devido ao programa do Governo de combate à corrupção e apropriação indevida de bens do Estado, a AAA Activos Lda. passou para o controlo do Instituto de Gestão de Ativos e Participações do Estado (IGAPE), após terem sido apreendidas pela Procuradoria-Geral da República de Angola.


O SBA se tornou alvo de atenção do Serviço Nacional de Recuperação de Ativos (SNRA) devido ao envolvimento do empresário Carlos São Vicente, que foi condenado a nove anos de prisão por criar um esquema ilegal que lhe permitiu extrair mais de 900 milhões de dólares da Sonangol.


Carlos São Vicente, que ocupou simultaneamente os cargos de diretor de gestão de riscos da Sonangol e presidente do conselho de administração da companhia AAA Seguros, aproveitou-se do monopólio da companhia petrolífera angolana para realizar um esquema ilegal de apropriação de participações sociais da seguradora e dos rendimentos e lucros gerados pelo sistema de seguros e resseguros no setor petrolífero em Angola.


Como resultado, São Vicente foi condenado a ressarcir o Estado com 4,5 mil milhões de dólares norte-americanos.


Consequentemente, os 49% de participação que São Vicente detinha no Standard Bank Angola estão agora entre os mais de 19 mil milhões de dólares em valores e bens já recuperados pelo Serviço Nacional de Recuperação de Ativos da PGR, tanto dentro como fora do país. Esses valores foram recentemente divulgados pela diretora da instituição, Eduarda Rodrigues.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page